Trabajo y empleo en Guinea Ecuatorial: estructura económica, visado para extranjeros

Work
Insurance
Popular
Guiné Equatorial

Partilhar:

Trabajo y empleo en Guinea Ecuatorial: estructura económica, visado para extranjeros

A República da Guiné Equatorial é um Estado localizado na África Central com uma população de cerca de 1,4 milhões de pessoas. Até 1968, o país era uma colónia de Espanha, após o que conquistou a independência. Nos anos 80, como resultado da exploração geológica, foram descobertas reservas significativas de petróleo e gás nas entranhas, após o que a economia do país começou a desenvolver-se rapidamente.

Em 2017, a Guiné Equatorial tinha abandonado a lista dos países menos desenvolvidos, que contém a maioria dos países de África. No entanto, os rendimentos energéticos estão distribuídos de forma desigual e a maioria da população sofre de pobreza. No entanto, a sua situação é melhor do que nos Estados vizinhos, pelo que muitos estrangeiros de países vizinhos vêm para a Guiné Equatorial.


A estrutura da economia da Guiné Equatorial

O PIB do país é constituído por três áreas principais:

- indústria - 93,3%;

- sector dos serviços - 4,2%;

- agricultura - 2,4%.

Ao mesmo tempo, a indústria está representada em várias direcções. Em particular, a extracção de petróleo e gás, bem como o processamento de recursos energéticos. A Guiné Equatorial é um produtor e exportador de gás natural liquefeito. O principal consumidor deste recurso são os Estados Unidos.

Em 1996, foram descobertas reservas petrolíferas significativas no país. Isto levou ao rápido desenvolvimento das indústrias mineira e de refinação de petróleo. Empresas de muitos países começaram a fornecer equipamento para estas indústrias. Esta tendência continua até aos dias de hoje. Tanto os residentes locais como os cidadãos de países vizinhos trabalham no sector mineiro. A manutenção do equipamento é realizada principalmente por representantes de empresas fabricantes. Recebem salários elevados.

A partir de 2019, o salário médio no país era de 255 dólares, o que é elevado entre outros países africanos. Por esta razão, os estrangeiros dos países vizinhos vêm trabalhar na Guiné Equatorial ou para residência permanente no território deste país.

Para além do petróleo e gás, foram descobertas reservas dos seguintes recursos naturais na Guiné Equatorial: titânio, minério de ferro, ouro aluvial, urânio, e manganês. Estas indústrias não estão tão desenvolvidas, mas a tendência para o seu crescimento continua. Muitos estrangeiros trabalham aqui. Basicamente, em posições mais baixas, como trabalhadores. Ao mesmo tempo, recebem salários elevados.

Além disso, uma parte significativa da economia da Guiné Equatorial é a agricultura e a pesca. Parte das culturas agrícolas é consumida no país, a outra parte é exportada. Em particular, o cacau, o café, as bananas e os cocos são exportados. Além disso, são cultivados arroz, mandioca e inhame. A agricultura é principalmente empregada por residentes locais. Os salários nesta indústria são baixos, mas há um crescimento constante na indústria agrícola devido aos investimentos que nela são feitos a partir das receitas do petróleo.




Visto de trabalho na Guiné Equatorial

Os cidadãos de outros Estados só têm o direito de trabalhar no território da Guiné Equatorial se tiverem um visto de trabalho. Não é permitido trabalhar sem este documento. Se for detectada uma violação, um estrangeiro enfrenta uma multa e uma deportação do país!

Antes de obter um visto, precisa de encontrar um empregador que lhe faça uma oferta de emprego. Pode fazê-lo você mesmo ou através de um intermediário. Pode encontrar um emprego por conta própria em sites especializados, grupos em redes sociais, e fóruns. A maneira mais fácil é procurar ajuda de um intermediário que não só o ajudará a encontrar um emprego mas também o ajudará a preencher todos os documentos necessários, bem como a fornecer apoio jurídico.

Em alguns casos, a lista de documentos pode ser diferente, mas na maioria dos casos, para obter um visto de trabalho, deve apresentar os seguintes documentos na embaixada ou consulado:

  • passaporte estrangeiro (com um período mínimo de 6 meses a partir do momento da passagem da fronteira, se tiver um passaporte antigo, também é necessário);
  • um convite do empregador;
  • breve informação sobre a posição em que deve trabalhar e o nível salarial;
  • certificado de vacinação contra a febre amarela;
  • seguro médico;
  • 2 fotografias típicas de passaporte de tamanho 3,5×4,5 cm;
  • recibo de pagamento da taxa consular;
  • confirmação da solvência financeira (declaração bancária sobre a disponibilidade dos fundos necessários para viver pela primeira vez).

É emitido um visto de trabalho por um período máximo de 6 meses com uma prorrogação subsequente de 3 meses. O custo de um visto de trabalho é de cerca de 200 euros (dependendo do país em que é emitido, enquanto que há uma tendência para que o visto se torne mais caro). A fim de conhecer melhor o país e conhecer as regras de passagem da fronteira e outras nuances, recomenda-se a compra de uma lista de verificação que contenha informações actualizadas sobre a Guiné Equatorial.

Artigos recomendados

3 min

Emprego Emprego nas Filipinas em 2024: características do mercado de trabalho e ofertas populares (atualizado)

Emprego nas Filipinas em 2024: características do mercado de trabalho e ofertas populares (atualizado)

As Filipinas não são apenas um paraíso tropical para viajar, mas também um ótimo lugar para viver permanentemente. Este país insular pode oferecer condições de emprego favoráveis aos estrangeiros. Saiba mais sobre as particularidades do mercado de trabalho, os salários e as vagas mais procuradas nas Filipinas em 2024

12 mai. 2024

Mais detalhes